Estadual

22/09/2017

AMP está representada no Movimento Mulheres Municipalistas

O Movimento Mulheres Municipalistas promoveu a Primeira Reunião Ampliada do grupo de trabalho. Lançado pela CNM (Confederação Nacional de Municípios), o projeto busca fortalecer a atuação feminina na política brasileira. A AMP (Associação dos Municípios do Paraná) esteve representada no encontro pela prefeita de Farol e presidenta da Comcam (Comunidade dos  Municípios da Região de Campo Mourão), Angela Kraus; pela prefeita de Manoel Ribas, Elizabeth Camilo; e pela sua assessora jurídica, Francine Frederico.  

As coordenadoras nacionais, Tânia Ziulkoski e Dalva Christofoletti, apresentaram o MMM e falaram dos principais objetivos da iniciativa para as prefeitas, representantes municipais e mulheres que tem forte atuação na luta da violência contra mulher.

Tânia Ziulkoski abriu a apresentação destacando números da representação das mulheres na política brasileira “hoje, nós temos 12% de prefeitura municipais geridas por mulheres e no legislativo somos menos de 10%”.

No contexto, Dalva Christofoletti acrescentou que “esse movimento de mulheres é um sonho como mulher. Há muitos anos atuo na defesa de políticas voltadas para as mulheres e hoje vejo a concretização de um sonho”.

Na oportunidade, o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, destacou a importância da iniciativa no sentido de possibilitar a ampliação da atuação da mulher em todas as esferas. “O espaço existe, agora preciso que vocês ocupem”, destacou.

Mulheres ícones
Convidada para somar ao Movimento, a secretária de Políticas para Mulheres da Presidência da República, Fátima Pelaes, falou sobre a atuação do departamento. “Nosso trabalho é fortalecer as políticas para as mulheres, orientando os Municípios sobre nossas ações a as ações que devem ser desenvolvidas pelo poder municipal”.

A coordenadora de campanhas na ONU-Mulheres (Organização das Nações Unidas para Mulheres), Amanda Lemos, falou sobre a atuação do organismo, em especial no combate à violência contra a mulher, e de como essas ações podem ser replicadas nos Municípios cumprindo a Agenda de Desenvolvimento. Ela citou as campanhas que devem ocorrer em novembro para o Dia Internacional de Não Violência conta as Mulheres e os 16 Dias de Ativismo.

A coordenadora Nacional da Liga das Mulheres Eleitoras do Brasil (Libra), Marta Lívia Suplicy; e a campeã mundial de jiu-jitsu e idealizadora e fundadora do projeto Eu Sei me Defender – que ensina técnicas de defesa pessoal para mulheres vítimas de violência -, Érica Paes também marcaram presença no evento. Além disso, técnicas e consultoras da CNM falaram de projetos da entidade que atendem à demanda do empoderamento feminino. (Fonte: CNM)

 

Arquivo anexado:

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.